segunda-feira, 31 de maio de 2021

13º dos aposentados: O que fazer com o benefício antecipado?


 
Foto: Reprodução
A primeira parcela do décimo terceiro salário de aposentados e pensionistas beneficiados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começou a ser paga na semana passada, em 25 de maio.

Segundo o Ministério da Economia, cerca de 31 milhões de beneficiários devem receber os depósitos até o dia 8 de junho.

Este ano, os pagamentos foram antecipados por causa da crise econômica causada pela Covid-19.

Com o dinheiro extra disponível, muitos beneficiários ficam com dúvidas sobre como utilizar o recurso.

Para ajudar esses aposentados, o coordenador do Instituto de Finanças da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP), Ahmed Sameeer El Khatib, elenca a seguir algumas dicas.

Parcela não é renda extra
A antecipação do 13º salário para aposentados e pensionistas não deve ser encarada como uma renda extra.

Uma recomendação para o bom uso desse dinheiro seria pagar as dívidas atrasadas, caso existam, sobretudo, as com financiamentos e cartões de crédito.

Outra recomendação é a não contratação de novas dívidas.

Por exemplo: muitos usam essa renda antecipada para comprar mais itens, às vezes desnecessários.

“Aconselho não fazer novas dívidas nesse momento, observando as prioridades. A antecipação do 13º salário não deve ser usada exclusivamente para o pagamento de dívidas, uma parte sim. Existem, ainda mais em tempos de pandemia, inúmeros contratempos, como problemas de saúde, com manutenção da casa e outras necessidades financeiras que podem demandar uma despesa inesperada no orçamento doméstico”, diz.

O especialista também diz que é importante usar parte desse recurso para criar um fundo de despesas emergenciais; ou ainda a criação de um orçamento mensal e anual (até o final de 2021), pois facilita a correta aplicação do dinheiro antecipado e evita surpresas no final do ano, quando ele deveria compor a renda do aposentado e pensionista.

Para os aposentados que desejam usar a antecipação para investir, e assim garantir um “pé de meia”, o professor diz que é necessário identificar qual o seu perfil de investidor: se é mais conservador, moderado ou arrojado.

Isso vai ajudar a escolher o tipo de aplicação que faz mais sentido e usar o recurso de forma mais eficiente.

Ahmed diz que estabelecer se a pretensão é utilizar o dinheiro aplicado em curto, médio ou longo prazo é um dos caminhos recomendados para não se perder nos planos.

“Dessa maneira, fica mais simples saber qual a melhor data de vencimento para a sua aplicação e qual a liquidez ideal para ela. A diversificação dos investimentos é uma estratégia recomendada. Os fundos de investimentos podem ser uma opção bastante interessante para quem separou uma quantia desse salário. Entre as alternativas mais comuns e simples para iniciantes, estão os títulos do Tesouro Direto, CDB e Letras de Crédito. Todas costumam conferir retornos interessantes e bom nível de segurança.
Além disso, elas normalmente são mais indicadas para quem está interessado em investir ao menos parte do seu décimo terceiro salário. Com planejamento e organização, é possível fazer o seu dinheiro render. E, além de ter um final de ano mais tranquilo, começar o próximo ano com ótimas perspectivas para o seu bolso.”

Por fim o especialista recomenda dois sites que podem ajudar a esclarecer, aos leigos, o universo dos investimentos: do Banco Central do Brasil (BCB) e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Sobre a FECAP

A Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP) é referência nacional em educação na área de negócios desde 1902.


Com informações do site: jornalcontabil