quarta-feira, 7 de abril de 2021

Novo auxílio emergencial: O que exclui o cidadão do pagamento em 2021?


 
Foto: Reprodução

A lista dos aprovados para o novo auxílio emergencial foi divulgada na última sexta-feira (1°) pelo Dataprev. Com isso, notou-se que mais de 20 milhões de antigos beneficiados ficaram fora da nova rodada de pagamentos.
O novo auxílio emergencial precisou reduzir o número de beneficiados. Isso por causa da limitação de gastos, em R$ 44 bilhões, definida pela PEC (Proposta de Emenda à Constituição) Emergencial.

No ano passado, o auxílio contemplou 68,2 milhões de pessoas. Na época, o programa foi criado para ajudar a população brasileira que mais estava sofrendo com os impactos gerados pela pandemia de Covid-19 e as medidas de restrições sociais.

Por esse motivo, o governo repassou a ajuda financeira para os trabalhadores informais, autônomos, desempregados, Microempreendedores Individuais (MEIs) e beneficiados do programa Bolsa Família.
Com a necessidade de reduzir o número de pessoas contempladas, o Ministério da Cidadania estabeleceu novos critérios para o pagamento do novo auxílio emergencial. A primeira decisão tomada pela pasta foi não abrir inscrição para novos candidatos.
Sendo assim, o novo auxílio emergencial só será pago a quem recebeu no ano passado. Para a nova rodada de pagamentos, 45,6 milhões de pessoas foram aprovadas pelo Ministério da Cidadania, a partir dos seguintes critérios:

Ser trabalhador informal; ou
Beneficiário do Bolsa Família;
Ter renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300);
Ter renda familiar per capita mensal de até meio salário mínimo (R$ 550);
Ter recebido o auxílio emergencial no ano passado.
Os cidadãos podem conferir se foi aprovado para receber o benefício no site da Dataprev, Ministério da Cidadania ou Caixa Econômica Federal. Para fazer a consulta é necessário informar o CPF, nome completo, nome da mãe (caso não tenha registro de mãe, selecione “Mãe desconhecida”) e a data de nascimento.

Valor e quantidade das parcelas do novo auxílio emergencial
Após pressão por parte dos parlamentares e pelo agravamento da pandemia no país, o governo decidiu pagar mais parcelas do auxílio emergencial. A permissão para o pagamento veio com a aprovação da PEC Emergencial no Congresso Nacional.

Porém, os novos pagamentos diferem dos do ano passado. Em 2020, o governo pagou nove parcelas, sendo cinco de R$ 600 e quatro de R$ 300. Essas últimas, chamada de parcelas extensão, só foram pagas a quem começou a receber a ajuda financeira entre os meses de abril e julho.
Sendo assim, quem começou a receber no mês de abril, finalizou o ano de 2020 recebendo a nona parcela do auxílio. Porém, quem teve o benefício liberado no mês de julho recebeu ao todo seis parcelas, sendo uma de R$ 300.

Para este ano, o governo confirmou o pagamento de quatro parcelas. Porém, o programa pode ser prorrogado, conforme a necessidade. As parcelas não serão cumulativas, portanto, apenas um membro da família irá receber.

O valor pago será variável, conforme a composição familiar. Dessa maneira, quem mora sozinho irá receber R$ 150. As famílias compostas por dois ou mais integrantes terão direito a parcela de R$ 250.
Por fim, as mães chefes de famílias monoparentais receberão a parcela de maior valor R$ 375. Diferente do ano passado, esse grupo não receberá a parcela em dobro. Porém, será mais que o dobro da menor parcela paga.

Calendário de pagamento do novo auxílio emergencial
Nesta terça-feira (6), a Caixa Econômica Federal começou a fazer os pagamentos do auxílio emergencial para aqueles que recebem fora do Bolsa Família.

O calendário de pagamento é escalonado, conforme o mês de nascimento do beneficiado.
Calendário de depósitos


Nascidos em Depósito
Parcela 1 Parcela 2 Parcela 3 Parcela 4
Janeiro 6 de abril 16 de maio 20 de junho 23 de julho
Fevereiro 9 de abril 19 de maio 23 de junho 25 de julho
Março 11 de abril 23 de maio 25 de junho 28 de julho
Abril 13 de abril 26 de maio 27 de junho 1º de agosto
Maio 15 de abril 28 de maio 30 de junho 3 de agosto
Junho 18 de abril 30 de maio 4 de julho 5 de agosto
Julho 20 de abril 2 de junho 6 de julho 8 de agosto
Agosto 22 de abril 6 de junho 9 de julho 11 de agosto
Setembro 25 de abril 9 de junho 11 de julho 15 de agosto
Outubro 27 de abril 11 de junho 14 de julho 18 de agosto
Novembro 27 de abril 11 de junho 14 de julho 20 de agosto
Dezembro 30 de abril 16 de junho 21 de julho 22 de agosto

Calendário de saques


Nascidos em Saques ou transferências

Parcela 1 Parcela 2 Parcela 3 Parcela 4
Janeiro 4 de maio 8 de junho 13 de julho 13 de agosto
Fevereiro 6 de maio 10 de junho 15 de julho 17 de agosto
Março 10 de maio 15 de junho 16 de julho 19 de agosto
Abril 12 de maio 17 de junho 20 de julho 23 de agosto
Maio 14 de maio 18 de junho 22 de julho 25 de agosto
Junho 18 de maio 22 de junho 27 de julho 27 de agosto
Julho 20 de maio 24 de junho 29 de julho 30 de agosto
Agosto 21 de maio 29 de junho 30 de julho 1º de setembro
Setembro 25 de maio 1º de julho 4 de agosto 3 de setembro
Outubro 27 de maio 2 de julho 6 de agosto 6 de setembro
Novembro 1º de junho 5 de julho 10 de agosto 8 de setembro
Dezembro 4 de junho 8 de julho 12 de agosto 10 de setembro


Esse calendário possui duas datas para cada parcela. A primeira é destinada para o depósito na conta Poupança Social Digital. Com o valor na conta é possível fazer compras, pagamentos e transferências bancárias, por meio do cartão de débito virtual disponível no aplicativo Caixa TEM.


Calendário de pagamento do novo auxílio emergencial para quem recebe o Bolsa Família

1ª parcela 2ª parcela 3ª parcela 4ª parcela

NIS ABRIL MAIO JUNHO JULHO
1 16 18 17 19
2 19 19 18 20
3 20 20 21 21
4 22 21 22 22
5 23 24 23 23
6 26 25 24 26
7 27 26 25 27
8 28 29 28 28
9 29 30 29 29
0 30 31 30 30


Com informações do site: FDR