quinta-feira, 15 de abril de 2021

Famílias de estudantes da rede estadual já podem consultar se têm direito aos R$ 150 da Bolsa Presença


 
Foto: Josenildo Almeida/Secretaria de Educação da Bahia
A consulta pode ser feita através do sistema Siadiante, da SEC, pelo endereço https://bit.ly/2Ri1WrX. Quem não tem acesso à internet, poderá ligar para a escola e solicitar a consulta no sistema.

Na consulta, é necessário informar o Número de Identificação Social (NIS) e a data de nascimento do responsável pela família. O aluno pode consultar o NIS no Cartão Cidadão, na Carteira de Trabalho (CTPS) ou nos extratos de FGTS.
Outra alternativa é a consulta pela internet, a partir do número do CPF, no portal Meu INSS https://bit.ly/3fT5g7j ou através do aplicativo “Meu CadÚnico” https://bit.ly/31Y7kCT.

O auxílio será pago através de um cartão que será entregue pela SEC à família do aluno. As datas da entrega do cartão e do recebimento da primeira parcela ainda serão divulgadas pela SEC.
 
“A Bolsa Presença se soma aos outros benefícios direcionados pelo Estado aos estudantes da rede estadual de ensino: o vale-alimentação estudantil e o programa de monitoria do Mais Estudo.
Juntos, os três programas representam um investimento superior a R$ 410 milhões de recursos próprios do Estado, o que mostra a preocupação do nosso governador Rui Costa com os estudantes e suas famílias”, afirmou o superintendente de Gestão da Informação da SEC, Rainer Guimarães, que também citou o Programa Educar para Trabalhar, que também faz parte do Estado Solidário e ofertará 200 mil vagas de cursos de qualificação profissional aos estudantes da rede estadual.

O valor de R$ 150 da Bolsa Presença é por família, mas o aluno pode acumular com os demais benefícios que recebe, ou seja, os R$ 55, por parcela, do vale-alimentação estudantil e os R$ 100 se for monitor do Mais Estudo.

As condições para que o aluno matriculado receba o auxílio Bolsa Presença são: assiduidade nas aulas ministradas pela unidade escolar em que esteja matriculado (aulas remotas e/ou presencial), com frequência mínima de 75%; participação do estudante e da sua família nas atividades e avaliações escolares; desenvolvimento do projeto de vida e intervenção social; e manutenção atualizada dos dados cadastrais na unidade escolar e no CadÚnico.

Com informações do site: Ipirá Notícias