quarta-feira, 14 de abril de 2021

Descubra como reduzir em até 50% o prêmio do seguro do carro ao não ter acidentes


 
Foto: Reprodução
O ano de 2020 viu uma mudança muito forte no mercado de seguros de automóveis. Novas empresas começaram a disputar espaço com grandes players do segmento, num movimento que teve como um dos efeitos a queda direta no preço das apólices de seguros tradicionais.

Outro sintoma do período foi que alguns clientes, em busca de diminuir seus gastos devido à crise da pandemia de Covid-19, se beneficiaram desse ambiente de maior oferta do que procura para trocar de seguro e pagar um preço menor na apólice.

Em contrapartida, outros clientes aproveitaram esse movimento para negociar uma renovação de contrato com a possibilidade de conseguir ótimos descontos nas renovações. Além de interessantes benefícios como bônus mais atrativos, já que o segurado pode reduzir em até 50% o prêmio do seguro do carro, isso com ou sem pandemia.

Ainda que a maioria das alternativas de seguros de carros do mercado oferecem bônus e que as seguradoras tenham estendido a vigência deste benefício para evitar a perda de clientes, este sistema pode trazer inúmeras vantagens para quem tem apólice com duração de um ano e não precisou acionar seu seguro no período. Entenda abaixo como funciona.

Como funciona o bônus do seguro para veículos?
O bônus é um código de 14 dígitos que está em qualquer contrato vigente de seguro. Nele, implicam descontos aplicados aos clientes que não participaram de sinistros durante a vigência da sua apólice e que querem renovar com a mesma empresa ou fazer um contrato com uma nova seguradora.

Ou seja, os bônus são aplicados ao fazer uma renovação e não estão atrelados ao veículo ou a uma única seguradora, mas ao motorista. Além disso, eles são cumulativos e geram 5% de desconto em média para cada ano que o cliente não aciona o seguro em casos de sinistros.

Na prática, isso quer dizer que quanto maior o tempo que o segurado não precisar acionar o seguro, maior é o  percentual de desconto que ele receberá, podendo chegar em alguns casos em até 50% do prêmio do seguro. Estes bônus se organizam em classes, veja a seguinte tabela:

Para o segurado ganhar pontos e mudar de classe de bônus é preciso que ele faça a renovação do seguro em até 30 dias após o vencimento da apólice. Se por algum motivo ele antecipar a renovação, infelizmente o segurado não receberá os pontos e continuará na classe em que estava. Mesmo que ele não tenha participado de nenhum sinistro durante a vigência de sua apólice.

Já quando a renovação da apólice é realizada após os 30 dias do vencimento, mas antes de completar 60 dias, o segurado mantém sua classe. Passados os 60 dias do vencimento ele terá uma redução progressiva da sua classe de bônus, até perder todos os pontos caso venha a contratar um seguro após 330 dias.

Outra forma de perder o bônus ocorre quando o segurado aciona o seguro em casos de perda parcial e de perda total do seu veículo, por sinistro ou em casos de roubo ou furto.
Isso também ocorre quando o segurado ocasiona acidentes e fica responsável por pagar o conserto de veículos de terceiros ou  indenizações.

Para cada acionamento do seguro, o segurado perde uma classe. Ou seja, para cada sinistro apenas um ponto é eliminado. Por exemplo, se durante o ano de vigência da apólice o cliente acionar duas vezes o seguro, o motorista perderá 2 classes de bônus.

É importante destacar que acionar alguns serviços, como o chaveiro por exemplo, não gera perda de bônus. Então é conveniente analisar bem cada situação. Isso quer dizer na prática que em casos nos quais o valor do reparo é menor que o valor da franquia, pode ser mais conveniente pagar o conserto e não perder os descontos do bônus ao usar o seguro.

Vale lembrar que a ativação do serviço de assistência 24 horas, tanto para o veículo como para a residência, assim como a cobertura para vidros, retrovisores, lanternas e faróis são serviços que não geram a perda de pontos.

Com informações do site: catracalivre