quinta-feira, 8 de abril de 2021

Cuidado: Caixa Tem é bloqueado com a troca de smartphone


 
Foto: Reprodução

Cuidado: se você recebeu o auxílio emergencial em 2020, mas depois trocou o número do telefone celular ou o próprio aparelho utilizado para acessar o benefício pelo aplicativo Caixa Tem, pode ter problemas de acesso aos novos pagamentos iniciados na última terça-feira (6). Isso porque, para combater fraudes, a Caixa Econômica Federal permite apenas o cadastro de uma conta (um único CPF) por número de celular.

Ou seja, se você trocou de celular e agora tem dois números associados ao benefício, pode ter tido problemas. De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, 95% do público que compareceu às agências do banco nesta terça apresentou queixas relacionadas ao bloqueio do Caixa Tem devido a trocas de linhas ou aparelhos telefônicos.

“Talvez esse seja o maior ponto em relação aos bloqueios: nós não permitimos um número grande de números de celular por CPF porque, no ano passado, identificamos isso como a principal fragilidade quanto a potenciais fraudes”, explicou.

Caixa Tem bloqueado? Saiba o que fazer

Dessa forma, se você está com este problema, precisa ir a uma agência da Caixa, entre 8h e 13h, portando um documento oficial com foto, como o RG ou a Carteira Nacional de Habilitação, e o número do seu CPF. O telefone de informações da Caixa é o 111.

No entanto, existem outros motivos que podem levar ao bloqueio do Auxílio Emergencial. O principal deles, é claro, são os novos critérios de elegibilidade, que permitem o pagamento do benefício a apenas um membro da família. Em 2020, até duas pessoas por família poderiam receber os valores, mas agora a regra é outra. Então, se este é o seu caso, pode ser essa a explicação para o bloqueio do benefício. 

Em 2020, benefício movimentou mais de R$ 47 bilhões; veja o calendário para 2021
Por fim, em 2020, somente por meio do aplicativo Caixa Tem (Android e iOS), o benefício movimentou diretamente em lojas e supermercados R$ 47,6 bilhões, sendo R$ 35,5 bilhões em compras por cartão virtual e R$ 12,1 bilhões em QR Code. Conforme alguns economistas, neste ano o benefício tem um caráter mais assistencialista do que de impulso fiscal. Confira o calendário completo.



Com informações do site: seucreditodigital