terça-feira, 27 de abril de 2021

Concurso Receita Federal: disciplinas para analista-tributário


 


A realização de um novo concurso Receita Federal tem gerado expectativas positivas em milhares de futuros servidores. Isso porque novas informações têm sido favoráveis à nova seleção.

Em maio de 2020, o órgão do fisco federal solicitou um aval do ministério da economia para preencher 3.360 vagas. O processo segue em tramitação. No entanto, recentemente, o órgão confirmou um ofício que solicita 699 vagas somente.

Esse quantitativo de oportunidade faz parte do pedido realizado em 2020, sendo 230 para o cargo de auditor-fiscal e 469 vagas para analista-tributário. Além disso, a Receita também pede a redução no tempo entre edital e provas.

O salário inicial para a carreira de analista-tributário é de R$ 11.684,39, podendo chegar a R$ 16.276,05.
O cargo ainda tem direito a benefícios como o auxílio alimentação de R$458/mês e o auxílio saúde, em torno de R$130/pessoa.

Além disso, após três anos, os analistas-tributários recebem têm direto a um bônus de eficiência de R$1.800.

Mas no caso da carreira de analista-tributário, que exige nível superior em qualquer área, os candidatos sabem o que é necessário para conseguir uma vaga, quais disciplinas são cobradas nas provas objetivas, remuneração oferecida para a função e como foi a última seleção realizada?
 Último concurso Receita Federal para analista-tributário teve oferta de 750 vagas

O último edital para a carreira de analista-tributário da Receita Federal foi publicado em 2012, quando foram ofertadas 750 vagas. Na ocasião, a oferta era destinada a duas áreas específicas dentro do órgão: Tributos Internos e Informática.

Conforme o documento publicado em 2012, 700 vagas foram destinadas a área de Tributos Internos e 50 para Informática. Ambos tiveram um percentual de vagas destinadas a pessoas com deficiência.

Entre os principais requisitos para investidura no cargo estavam ter idade mínima de 18 anos e diploma de curso superior concluído em qualquer área, em nível de graduação, devidamente registrado no Ministério da Educação (MEC). Além de outras exigências.

Naquele ano, o processo do concurso Receita Federal se deu por meio de duas etapas. A primeira consistia na realização das avaliações objetiva e dissertativa.

Na ocasião, a prova objetiva cobrava Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos, cada parte valendo um total de 120 pontos. Já a prova dissertativa tinha valor máximo de 100 pontos.
A outra etapa foi o processo de sindicância de vida pregressa, de caráter unicamente eliminatório, que foi realizado pela banca organizadora Esaf, em que exigia a apresentação de documentação específica aos candidatos.

A Esaf não poderá ficar mais à frente dos concursos da Receita Federal. Isso porque resolução do Comitê Estratégico de Governança da Fazenda (CEG), publicada em agosto do ano passado, determina que a Esaf seja responsável apenas pela contratação e fiscalização de bancas organizadoras para as primeiras etapas dos concursos para órgãos fazendários, não se responsabilizando mais pelas provas objetiva e discursiva.
 Disciplinas cobradas para o cargo de analista-tributário

Ainda sem uma previsão de autorização e consequentemente uma data para a publicação do edital, o caminho mais indicado para os interessados em uma vaga no cargo de analista-tributário da Receita Federal é iniciar os estudos com base no último edital.

É importante ressaltar que o futuro servidor deve ter atenção para algumas atualizações em disciplinas que envolvem o conhecimento de lei, mas a Folha Dirigida pode te ajudar nessa missão.

A Folha Dirigida agora também é CURSO! E a Folha Cursos chegou para acelerar os seus estudos com materiais completos, otimizados e sem enrolação. 
Aplicada nas principais cidades do país, a provas objetiva de de Conhecimentos Gerais cobrou 20 questões de Língua Portuguesa, 10 de Espanhol ou Inglês, 10 de Raciocínio Lógico-Quantitativo, 25 de Direito Constitucional e Administrativo e 10 Administração Geral.

No caso da parte de Conhecimentos Específicos foram 20 perguntas de Direito Tributário, 10 de Contabilidade Geral e 30 de Legislação Tributária e Aduaneira (candidatos da área de Tributos Internos), e 30 de Informática (candidatos da área de Informática).

Já a prova dissertativa avaliou aspectos que envolviam o desenvolvimento do tema proposto como a capacidade de argumentação dos candidatos, sequência lógica do pensamento, alinhamento ao tema e cobertura dos tópicos apresentados no texto.

Outro ponto analisado foi quanto ao uso do idioma que teve observados os aspectos formais, gramaticais e textuais. Além da formatação do texto punindo a quantidade de linha excedente ao máximo exigido e linha não escrita, considerando o mínimo exigido.
 

Pedido de concurso Receita Federal teve movimentações nos últimos meses

Nos últimos dois meses, ocorreram diversas movimentações no pedido feito pelo Receita Federal, no ano passado, ao Ministério da Economia, o que animou os milhares de interessados em trabalhar na autarquia.

Na ocasião, a solicitação havia sido para 2.050 vagas, sendo 1.500 de analista-tributário e 550 de auditor-fiscal. Em fevereiro, a solicitação do órgão registrou dez movimentações em poucos dias. Já em março, foram mais dez movimentações somente nos dias 16 e 17.

O pedido de concurso da Receita Federal passou por duas diretorias do Ministério da Economia, além da Coordenação de Gestão de Pessoas da Receita Federal, que foi acionada para fornecer mais informações sobre a solicitação. Toda essa tramitação pode ser um indicativo de que o concurso deverá ser autorizado em breve.

A redução da oferta de vagas e do intervalo entre a divulgação do edital e a aplicação das provas, por meio desse novo pedido que será analisado, podem ter sido recomendações feitas pelo próprio Ministério da Economia, para atender à necessidade urgente de a Receita Federal recompor a sua força de trabalho.

A Receita Federal não abre concurso desde 2014 para auditores e 2012 para analistas. Com isso, o órgão possui um déficit superior a 22 mil servidores nas carreiras de analista-tributário e auditor-fiscal.

"O esvaziamento de recursos no orçamento do órgão, a redução de servidores e a não realização de concursos nos últimos cinco anos seguem acarretando perda de eficiência para Receita Federal com reflexos diretos nos resultados das atividades realizadas pelos servidores do órgão e que são essenciais e exclusivas de Estado"


 

Com informações do site: folhadirigida