sábado, 10 de abril de 2021

Bolsa Família vai mudar a partir desse ano; conheça todos os planos do governo


 
Foto: Reprodução
Governo federal deve aplicar reformas no Bolsa Família depois da concessão do auxílio emergencial. Nessa semana, o ministro da cidadania, João Roma (Republicanos-BA), afirmou que está trabalhando para simplificar as regras de acesso ao projeto. Em entrevista, ele alegou que as mudanças deverão ser implementadas ainda este ano, cogitando a possibilidade de ofertar um 13º salário.

Enquanto os segurados recebem a extensão salarial por meio do auxílio emergencial, o governo trabalha para aplicar mudanças no Bolsa Família. A novidade foi anunciada pelo ministro da cidadania em entrevista ao portal UOL.

De acordo com ele, a partir do segundo semestre deste ano o projeto funcionará com novas diretrizes.

“Para 2021, temos saldo para poder vislumbrar a ampliação do programa. Estamos levantando os dados para encontrar a equação mais sustentável. Estou interagindo com a área econômica para levantar fontes de recursos para 2022 e adiante. Há estudo aqui que visa simplificar regras de acesso, estruturas políticas do Bolsa Família e daí, com o orçamento devidamente apontando, cabendo no teto, podemos avançar nesse programa social”, afirmou João Roma.

Planejamento para o Bolsa Família

De acordo com o gestor, o ministério deverá, neste momento, se concentrar na administração do auxílio emergencial. No entanto, paralelamente a equipe também vem atuando na reformulação da pasta do projeto.

A ideia é que o orçamento do programa não seja alterado neste momento, tendo em vista a concessão das 4 parcelas extras pelo coronavoucher. Já a partir de agosto há a possibilidade de inclusão de novos benefícios e reajustes no valor das mensalidades.

João reforçou que o Bolsa Família tem sido uma pauta prioritária na agenda da administração pública federal. Com o fim da implementação do Renda Brasil, o projeto implementado no governo Lula deverá passar por mudanças como uma estratégia de reeleição do presidente Jair Bolsonaro em 2022.

“Vários temas têm sido abordados e há outros programas que buscamos formatar. É natural que ocorra demanda de marca, mas já ficou claro que o governo Bolsonaro não tem esse viés marqueteiro, mas sim [que tem] buscado estruturar certas ações de estado – como o Bolsa Família, que não é legado de governo ou partido, é uma conquista do povo brasileiro. (…) Mais do que embalagem nova, precisamos que esse recurso chegue na população brasileira.”

Propostas que estão sendo estudadas para o pagamento do Bolsa Família 2021
Até o momento, as possibilidades de alteração para o projeto são:

Valor do auxílio-creche mensal para cada criança seria de R$ 52,00
Bônus anual para o melhor aluno de R$ 200,00
Bolsa mensal de R$ 100,00, mais um prêmio anual de estudante científico e técnico de destaque de R$ 1.000,00
Renovação nas regras de entrada e saída do programa
Atualização nos critérios mínimos de renda para inclusão no projeto

Cadastramento no Bolsa Família 2021
Atualmente, o procedimento de cadastramento vem sendo feito online, tendo em vista a situação do novo coronavírus. Clique aqui e confira o passo a passo para efetuar sua candidatura.

Documentos necessários para cadastro Bolsa Família 2021:

Certidão de nascimento
Carteira de identidade
Cadastro de Pessoa Física (CPF)
Carteira de Trabalho
Título de eleitor
Comprovante de residência
Para os dependentes: certidão de nascimento e RG


Com informações do site: FDR