quinta-feira, 29 de abril de 2021

Antecipação de 13º do INSS vai liberar R$ 56 bilhões nos próximos meses


 
Foto: Reprodução
Prometida há semanas pelo governo, a antecipação do 13º salário de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) será paga nos próximos dois meses. A medida deve beneficiar 31 milhões de pessoas e injetar R$ 56 bilhões na economia
 
“Nos próximos dias, a antecipação dos aposentados e pensionistas do INSS.
Algo em torno de R$ 56 bilhões para 31 milhões de pessoas. Isso será em duas fases”, disse nesta quarta-feira (28) o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco.

Questionado sobre a data de pagamento do benefício, Bianco acrescentou que “tudo indica que teremos uma antecipação para os dois meses subsequentes”. Ele explicou que o INSS já começou a fazer os pagamentos do mês de abril e que, por isso, deve fazer a antecipação “para daqui a dois meses”.
Segundo o calendário de pagamentos do INSS, os pagamentos deste mês começaram na segunda-feira (26) e vão até a sexta-feira da semana que vem (7). O ciclo de pagamentos seguinte começa em 25 de maio e vai até 8 de junho; e o posterior vai de 24 de junho a 7 de julho. É possível, então, que a antecipação do 13º salário seja paga nessas datas.

Impasses do Orçamento

Bianco admitiu que, apesar de ter aprovado a antecipação do 13º há algum tempo, o governo precisou postergar esses pagamentos por conta dos impasses do Orçamento de 2021, que só foi sancionado na semana passada pelo presidente Jair Bolsonaro.
“Fomos obrigados a postergar a antecipação em decorrência da necessidade de aprovação da LOA [Lei Orçamentária Anual] para que pudéssemos fazer a antecipação. Trata-se de um montante significativo de dinheiro”, alegou.
O secretário garantiu, ainda que a antecipação já foi aprovada de forma consensual pelo governo. O ministro da Economia, Paulo Guedes, também reforçou a promessa de antecipar o 13º dos aposentados e pensionistas quarta-feira.
“Com a aprovação do Orçamento, torna-se possível. São R$ 56 bilhões”, afirmou o chefe da equipe econômica, durante a apresentação dos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). 


Correio Braziliense