segunda-feira, 15 de março de 2021

Retorno do Auxílio Emergencial não afetará incentivos no Simples Nacional


 
Foto: Reprodução
A Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta quarta-feira (10), em primeiro turno, o texto principal da PEC Emergencial que promove a nova rodada do auxílio emergencial, no entanto ainda segue em votação para incluir algumas alterações .

O auxílio para a maioria das pessoas se tornou a única fonte de renda para sobrevivência em 2020, desta forma muitos brasileiros esperam desde o começo do ano a continuação dos pagamentos em 2021, tendo em vista amenizar um pouco os impactos que a pandemia causou dentro de casa.

Simples Nacional
Com a intenção de equilibrar o orçamento e conseguir pagar todos contemplados pelo Auxílio emergencial, o Governo Federal poderá analisar o corte de alguns programas de benefícios fiscais.

As empresas que fazem parte do Simples Nacional e MEI não serão afetadas, pois estão contribuindo positivamente no cenário econômico em meio a pandemia do coronavírus, gerando milhares de empregos no Brasil.

Incentivos Tributários:
Após o mês de outubro, os pequenos negócios se recuperaram e fecharam 2020 com a geração de 293,2 mil novos empregos, segundo informações do Sebrae com base em dados consolidados pelo Ministério da Economia, em contrapartida as médias e grandes empresas, extinguiram 193,6 mil postos de trabalho.

O governo abriu mão de alguns recursos que receberia por meio de impostos, gerando alguns incentivos tributários oferecidos para os pequenos empresários, influenciando esse segmento ser o maior responsável por manter o saldo positivo e ter grande resultados na geração de empregos no Brasil.


Com informações do site: Jornal Contábil