segunda-feira, 22 de março de 2021

Quer trabalhar no mercado financeiro? Saiba quais são as cinco atividades mais demandadas


 
Foto: Reprodução
Uma das perguntas que mais recebo é: como faço para trabalhar no mercado financeiro? Para responder esta questão vou abordar apenas cinco atividades, mas são as que considero as mais demandadas neste momento.

De fato, existe uma confusão na pergunta, pois as funções no mercado financeiro vão muito além do que apenas finanças.

Um banco tem várias funções que se confundiriam com as de uma empresa. Há áreas relacionadas a marketing, ao jurídico, a logística, a tecnologia e tesouraria. Dentro da área financeira, há outra infinidade de atividades.

No entanto, o que mais atrai a todos são as atividades relacionadas a investimentos Existem quatro atividades regulamentadas pelas Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que são as mais demandadas.

Posso falar com experiência sobre estas funções, pois já exerci quase todas. Ao longo dos mais de 23 anos de carreira, já fui gestor de fundos de renda fixa, gestor de fundos de ações, gestor de fundos multimercados, analista de investimentos em ações, consultor e hoje exerço a função de assessor de investimentos.

Esclarecerei o que cada atividade faz e o que você precisa fazer para se preparar para exercê-la. Vamos começar com a atividade de analista.

 

Analista de investimentos

A atividade de analista é regulamentada pela CVM na Instrução CVM 598. Segundo o artigo primeiro desta:
“Analista de valores mobiliários é a pessoa natural ou jurídica que, em caráter profissional, elabora relatórios de análise destinados à publicação, divulgação ou distribuição a terceiros, ainda que restrita a clientes”.

Perceba que o papel do analista se resume a avaliar e realizar recomendações de investimentos.

O maior volume de analistas está nas empresas de gestão de recursos. Segundo a Anbima existiam setecentas empresas de gestão de recursos no país em fevereiro de 2021.

Entretanto, não é apenas nestas empresas que você pode trabalhar como analista. Também existem os analistas nas corretoras de valores.

Adicionalmente, com a crescente demanda de pessoas físicas por administrar, elas próprias, suas carteiras de ações, várias empresas de pesquisa independentes surgiram, elevando também a demanda por analistas.

Muitos sonham em trabalhar gerindo a carteira de terceiros. No entanto, partir direto para a gestão é um passo errado.

Para ser um bom gestor, antes precisa ser um bom analista.

Nem todo gestor foi antes um analista, mas todo bom gestor precisa ser um bom analista.
E apenas realizando o trabalho de análise é que se entende realmente as nuances.

Logo, se você pretende trabalhar realizando gestão de recursos, considere não queimar etapas e ser primeiro analista.

Para esta atividade é importante entender sobre economia e finanças corporativas. Para exercer a atividade de forma regular, é necessária a realização de prova de habilitação.

Adorei trabalhar como analista. Você precisa estudar bastante sobre um setor e entender como as empresas se comportam.

Neste trabalho de pesquisa, conhece-se a fundo o funcionamento das empresas que avalia. Você tem contato com diretores das empresas e reguladores.

A compreensão do que faz empresas serem bem-sucedidas ou fracassarem dá bagagem para até exercer funções executivas nestas empresas.

 

Gestor de carteiras

A atividade de gestão de carteiras é regulada pela Instrução CVM 558.
Segundo o artigo primeiro desta:
“A administração de carteiras de valores mobiliários é o exercício profissional de atividades relacionadas, direta ou indiretamente, ao funcionamento, à manutenção e à gestão de uma carteira de valores mobiliários, incluindo a aplicação de recursos financeiros no mercado de valores mobiliários por conta do investidor”.

Existem vários aspectos relacionados ao controle de risco e controles adicionais necessários na gestão profissional.

Por isso, o processo para se conseguir a habilitação não se resume a passar numa prova, como é exigido para analista.

As exigências são maiores e passa pelos filtros de duas instituições, a Anbima e a própria CVM. O processo de registro é detalhado e moroso, pois não é permitido a qualquer pessoa a responsabilidade de conduzir aplicações em nome de terceiros.

Assim, se pensa em ser gestor de carteira, comece com a atividade de analista, pois assim terá a experiência necessária para exercer a profissão tanto pelo aspecto prático quanto de regulação.
Se engana quem acha que um gestor trabalha menos que um analista.

O apoio dos analistas para fazer o trabalho de pesquisa com mais profundidade é essencial para a gestão. Enquanto um analista costuma focar em determinados setores, o gestor é obrigado a estudar sobre todos. Por isso, ele precisa do trabalho mais detalhado dos analistas.

Se o gestor já foi analista, ele sabe os erros comuns que podem ocorrer e consegue ter um olhar crítico mais aguçado.

O gestor precisa avaliar, a partir das projeções dos economistas, quais setores podem ser mais beneficiados e com o trabalho dos analistas, que empresas nestes setores devem se destacar. Adicionalmente, deve-se considerar a ponderação dos ativos de forma a reduzir riscos com uma adequada diversificação.

 

Consultor de investimentos

A atividade de consultoria de investimentos é regulada pela Instrução CVM 592/2017:
“Para os efeitos desta Instrução, considera-se consultoria de valores mobiliários a prestação dos serviços de orientação, recomendação e aconselhamento, de forma profissional, independente e individualizada, sobre investimentos no mercado de valores mobiliários, cuja adoção e implementação sejam exclusivas do cliente”.

O consultor orienta e realiza recomendações de investimento, mas não as executa para o cliente. A função de consultor tem certa sobreposição com a atividade de analista e de gestor, mas cada uma tem um escopo.

O investidor brasileiro não está muito acostumado a pagar uma taxa adicional ao que já se paga na gestão. Portanto, ele ainda é resistente e não entende a relevância, principalmente, quando se trata de grandes fortunas.

 

Planejador financeiro

A atividade de planejador financeiro tem crescido exponencialmente. Esta atividade ainda não é regulada pela CVM, mas isso não reduz sua importância.

Segundo a CVM, a atividade de planejador financeiro se restringe à orientação dos clientes em relação ao planejamento sucessório, produtos de previdência e administração de finanças em geral, mas sem fazer recomendações de investimentos.

Se um planejador faz recomendação de investimentos, ele precisa se registrar como consultor.

Embora não seja necessária habilitação, como qualquer atividade que demanda responsabilidade e conhecimento, é importante que ele seja certificado.

No Brasil, a certificação de mais prestígio é a Certified Financial Planner (CFP). Internacionalmente reconhecido e coordenado, no Brasil, pela Planejar.

Esta atividade tende a crescer bastante com o envelhecimento da população e a necessidade desta em se organizar financeiramente de forma a melhor se preparar para aposentadoria.

Também pesa a favor de seu desenvolvimento, a maior falta de tempo das pessoas para cuidar de suas próprias finanças.

 

Assessor de investimentos

A atividade de assessoria de investimentos é regulada pela Instrução CVM 497. Segundo ela, o assessor tem as seguintes atividades: prospecção e captação de clientes, recepção e registro de ordens e transmissão dessas ordens para os sistemas de negociação e prestação de informações sobre os produtos oferecidos e sobre os serviços prestados pela instituição que ele tem contrato.

O assessor de investimentos é quem explica os riscos, potencial de retorno dos investimentos e auxilia os investidores na execução das operações e montagem de suas carteiras de investimento.

Gosto bastante desta atividade pois exige conhecimentos sobre todas as atividades anteriores. Você precisa entender o trabalho de analistas e gestores para explicar para seu cliente este trabalho e quais riscos ele está exposto.

Adicionalmente, precisa entender bastante dos produtos para explicar ao cliente como eles se enquadram ao seu perfil de investidor.

Para execução desta atividade, é necessária uma prova simples. Mas não se engane. Esse é apenas o primeiro passo. É necessária muita leitura e estudo tanto sobre economia quanto dos diversos produtos e serviços.

A atividade de assessor de investimentos é dentre todas anteriores a que possui o maior potencial de crescimento.

Todas as atividades são interessantes e empolgantes quando vistas à distância, mas esteja certo de que todas elas vão exigir muito estudo e dedicação.

 
Com informações do site: Folha de São Paulo