terça-feira, 30 de março de 2021

Orçamento 2021 pode liberar antecipação do 13º do INSS em abril


 
Foto: Reprodução

O Orçamento Público de 2021 foi aprovado na noite de quinta-feira (25), com isso, o caminho para antecipação do 13º do INSS ficou aberta. A previsão, conforme indicou o ministro da Economia, Paulo Guedes, é de que a primeira parcela seja repassada aos beneficiários a partir de abril.
O objetivo do governo federal é tentar amenizar a crise financeira gerada no Brasil pela pandemia de covid-19. A antecipação do 13º do INSS prevê injeção de R$ 50 bilhões na economia do país.

“Assim, mais R$ 50 bilhões vêm de dezembro para agora. Então, vamos proteger os mais vulneráveis, os idosos, nessa segunda grande guerra contra o coronavírus. Esses recursos podem vir, de novo, sem impacto fiscal, porque é apenas uma antecipação de recursos dentro do mesmo ano”, explicou o ministro.

Levando em consideração que o INSS iniciou os depósitos dos benefícios de março na última quinta (25), dentro do calendário regular de pagamentos, a antecipação da primeira parcela do 13º só pode ocorrer a partir de 26 de abril. Já a segunda parcela do benefício, conforme a mesma regra, só poderia começar  em 25 de maio.

Qual é a vantagem da antecipação do 13º do INSS?

A antecipação do 13º do INSS foi anunciada em janeiro. No entanto, devido ao atraso na aprovação do Orçamento de 2021, o governo não conseguiu iniciar os pagamentos do valores por falta de verba.
Com a aprovação, do Orçamento no Congresso Nacional, o governo já deve começar a disparar o adiantamento para os aposentados.
A antecipação do 13º do INSS não necessita de um crédito extraordinário para acontecer.

A vantagem é que o pagamento feito é com base em um valor que já está previsto. Além de auxiliar milhões de brasileiros no enfretamento a crise econômica, o dinheiro é um investimento na economia do país.

A antecipação do 13º do INSS traz um impacto econômico ainda maior que o auxílio emergencial a economia do país. Isso porque o valor da nova rodada de pagamentos da ajuda emergencial foi definido em R$ 44 bilhões para 2021.


Com informações do site: DCI