sexta-feira, 12 de março de 2021

Caixa divulga formas de pagamento do novo auxílio emergencial para 2021


 
Foto: Reprodução
A Caixa Econômica Federal informou que já está com o cronograma de pagamentos do novo auxílio emergencial pronto. A experiência dos pagamentos do ano passado e um grupo menor de beneficiários farão com que as parcelas sejam repassadas de forma mais rápida.

Caixa divulga formas de pagamento do novo auxílio emergencial para 2021

A Caixa espera o governo publicar a Medida Provisória sobre o novo auxílio emergencial para divulgar o cronograma de pagamentos.
De acordo com o banco, a sua equipe técnica elaborou mais de um plano de ação para a operação de pagamento.

Assim como no ano passado, o valor deve ser repassado, primeiramente, em forma de crédito na conta Poupança Social Digital, na qual os beneficiários poderão movimentar o valor para fazer compras e pagamentos pelo aplicativo Caixa TEM.

A quantidade de beneficiários este ano será bem menor que em 2020. Dessa maneira, será feito uma nova seleção, com base nos dados informados no aplicativo do Caixa TEM.

Para isso, a Caixa Econômica criou um cronograma para que os clientes realizem a atualização dos dados.

A atualização começou ontem e segue até o dia 18 de março, com o objetivo de não congestionar o sistema do Caixa TEM. O calendário de atualização é divido pelo mês de nascimento dos clientes.

Dessa maneira, ontem, quinta-feira (11) os nascidos em janeiro e fevereiro puderam dar início ao cronograma. Nesta sexta-feira (12) é a vez dos nascidos nos meses de março e abril.
Veja abaixo o cronograma completo:



Novo auxílio emergencial
O autor e relator da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) Emergencial no Senado Federal, Márcio Bittar (MDB-AC), definiu, em seu relatório, um limite de gastos de R$ 44 bilhões para o novo programa emergencial.

O presidente da república, Jair Bolsonaro (sem partido), também já tinha afirmado alguns detalhes sobre o novo auxílio emergencial 2021. Segundo ele, o programa irá contemplar 46 milhões de brasileiros, incluindo os 14 milhões dos beneficiários do Bolsa Família.

Além disso, deixou claro que o governo pretende pagar quatro parcelas de, em média, R$ 250, começando em março até o mês de junho. O ministro da Economia, Paulo Guedes, também falou sobre o assunto e disse que os valores das parcelas irão variar entre R$ 175 e R$ 375.

Com informações do site: FDR, por Glaucia Alves