domingo, 21 de março de 2021

Auxílio emergencial: veja quem vai receber primeiro e quando


 
Foto: Reprodução
Jair Bolsonaro (sem partido) assinou no 18 de março a medida provisória que garante a volta do auxílio emergencial. O presidente cancelou a entrega do texto para o Senado Federal, que aconteceria presencialmente e foi adiado devido à morte do senador Major Olímpio (PSL-SP), vítima de complicações causadas pela Covid-19. As informações foram dadas pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

Apesar de não ter enviado ao Senado, a nova rodada do auxílio emergencial está encaminhada, e a previsão é que o primeiro pagamento aconteça no início de abril. De acordo com o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, o  calendário de pagamento do auxílio emergencial está pronto.

Os valores do benefício já estão definidos, o que falta agora, segundo o presidente da Caixa, é que as datas de pagamento sejam definidas. Elas dependem de Bolsonaro, que deve entregar o texto da MP ao Congresso Nacional. O documento é o aval que autoriza oficialmente a volta das parcelas.

Segundo informou a Agência Brasil, Pedro Guimarães, responsável pela Caixa Econômica Federal, garante que o sistema do Caixa Tem estará mais preparado para o pagamento do benefício social, tudo para evitar aglomerações nas agências, já que a pandemia da Covid-19 ainda persiste, e está no seu momento mais crítico.

A estimativa do governo federal é contemplar 45,6 milhões de pessoas, e gastar em torno de R$ 43 bilhões, respeitando o teto de gastos firmados pela PEC Emergencial.

Quantos meses de auxílio emergencial?

Serão quatro parcelas pagar pelo governo, sendo a primeira feita em abril. Desse modo, os beneficiados pelo auxílio emergencial vão receber o pagamento até o mês de julho de 2021. Entenda abaixo como vai funcionar o método de pagamento definido pelo ministério da Economia.

Serão três faixas de pagamento: R$ 150, R$ 250 e R$ 375
Famílias monoparentais (uma pessoa): R$ 150
Famílias com mais de uma pessoa e que não são chefiadas por mulheres: R$ 250
Famílias chefiadas por mulheres: R$ 375
Integrantes do Bolsa Família: R$ 375.

Como solicitar?
Quem pensa que terá que se cadastrar novamente para receber a nova rodada do auxílio emergencial está enganado. Isso porque, segundo informações oficiais, não haverá inscrição ou cadastro a fazer.
Só quem se cadastrou no benefício em 2020 terá direito de receber o auxílio em 2021. E, ainda assim, nem todos serão inclusos na rodada.

Quem vai receber?
A previsão é que 28.624.776 das pessoas que já estão nos cadastros da Caixa recebam o benefício. Outras 6.301.073 pessoas cadastradas no Cadastro Único do governo federal, e  10.697.777 de beneficiários do Bolsa Família. Com isso, o governo pretende amparar a população mais vulnerável.

Um dos critérios que enquadram os contemplados pelo novo auxílio é: ser trabalhador informal;  ter renda familiar mensal de até 3 salários mínimos; 
ter renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo;  ter recebido o auxílio emergencial em 2020. Veja abaixo quem não será incluso no programa:

Residentes médicos, multiprofissionais, beneficiários de bolsas de estudo, estagiários e similares;
Pessoas com rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019;
Pessoas com menos de 18 anos, exceto mães adolescentes;
Pessoas que recebem pensão por morte.

Com informações do site: DCI