quinta-feira, 11 de março de 2021

Auxílio emergencial 2021: como consultar o saldo das parcelas pelo CPF


 
Foto: Reprodução
O presidente Jair Bolsonaro prometeu quatro novas parcelas do auxílio emergencial, com valor previsto de R$ 250,00 por pagamento. Ao que tudo indica, os primeiros depósitos podem acontecer a partir do dia 15 de março de 2021. No entanto, enquanto isso não acontece, você sabia que os beneficiários têm o direito de consultar o saldo do auxílio emergencial pelo número do CPF?

Auxílio emergencial 2021 terá menos beneficiários; entenda
Os cidadãos que reivindicaram o benefício no ano passado, inclusive, conseguem acessar o portal da Dataprev para conferir os valores devidos. Além do mais, as novas parcelas do auxílio emergencial 2021 provavelmente poderão ser consultadas pela mesma página. Abaixo, você confere como funciona a verificação de pagamentos pendentes.

Como consultar se você tem saldo do auxílio emergencial pelo CPF
O site da Dataprev fornece condições para que os beneficiários do auxílio emergencial, por meio do número de seus CPFs, possam consultar o saldo de suas parcelas. Para efetuar o procedimento, basta seguir alguns passos básicos. Confira:

Acesse a página da Dataprev sobre o auxílio emergencial;
Insira os dados exigidos, como CPF, nome completo do beneficiário, data de nascimento e nome da mãe;
Feito isso, espere a página carregar. Nela, será possível conferir o saldo do auxílio emergencial. O mesmo procedimento poderá ser concedido para a consulta das novas parcelas do benefício, que ainda não foram aprovadas pelas casas legislativas. A prorrogação do programa ainda está sendo estudada pela equipe do governo.

Vale destacar que a consulta das parcelas pendentes, bem como extrato de movimentações, pode ser feita diretamente pelo Caixa Tem (Android e iOS). O aplicativo funciona como uma espécie de conversar pelo WhatsApp, com funcionalidades intuitivas e autoexplicativas.

Inscrição do auxílio emergencial 2021
Pelo visto, a inscrição para garantir as novas parcelas do auxílio emergencial vai ser feita de maneira automática. O governo federal deverá filtrar a lista de beneficiários, tendo em vista os cadastros que já foram registrados em 2020. Isso quer dizer que muitas pessoas poderão perder o direito de receber o benefício.

O pente-fino será realizado por meio das informações cruzadas de bancos de dados distintos, como o do CAGED e o do INSS. Aqueles que passaram a receber aposentadoria ou seguro-desemprego, por exemplo, devem ser excluídos da nova lista de beneficiários.
Conforme apurações feitas pelo jornal Folha de S. Paulo, a prorrogação do auxílio emergencial deverá atender cerca de 40 milhões de brasileiros. Ao menos 68 milhões de pessoas foram contempladas com os pagamentos do ano passado. Veja, abaixo, quem poderá deixar de receber o benefício:

Cidadãos com vínculo empregatício em caráter ativo;
Aqueles que passaram a receber pensão, aposentadoria, benefício assistencial e/ou parcelas do seguro-desemprego.
Em 2020, quem não estivesse inscrito no CadÚnico tinha que realizar o pedido do auxílio emergencial pelo site da Caixa. Esse procedimento provavelmente não será necessário para garantir as novas parcelas de 2021. Mais informações vão ser confirmadas com o anúncio oficial da prorrogação do benefício.

Além do auxílio emergencial, confira 22 benefícios sociais que você pode receber
Criado em 2001, o Cadastro Único do Governo Federal (CadÚnico) fornece condições para identificar as famílias brasileiras com baixa renda. A base de dados opera como um instrumento para mapear os cidadãos que estejam em condições de vulnerabilidade social. Com isso, o governo consegue garantir a inserção das pessoas nos programas sociais do país.
Em termos gerais, existem 22 benefícios que se baseiam nos registros do CadÚnico.
Confira abaixo:

Programa Bolsa Família;
Programa Casa Verde e Amarela;
Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI;
Isenção de Taxas em Concursos Públicos;
Fomento – Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais;
Carteira do Idoso;
Aposentadoria para pessoa de baixa renda;
Programa Brasil Carinhoso (Educação Infantil);
Programa de Cisternas;
Telefone Popular;
Carta Social;
Pro Jovem Adolescente;
Tarifa Social de Energia Elétrica;
Bolsa Verde – Programa de Apoio à Conservação Ambiental;
Passe Livre para pessoas com deficiência;
Crédito Instalação;
Programa Brasil Alfabetizado;
Identidade Jovem (ID Jovem);
Programa Nacional de Reforma Agrária (PNRA);
Água para Todos;
Bolsa Estiagem;
Programa Nacional de Crédito Fundiário.
O governo federal também garantiu, no ano passado, diversas parcelas do auxílio emergencial. Esse programa temporário foi elaborado para amparar os trabalhadores desempregados, autônomos e microempreendedores individuais durante o contexto de pandemia.

Conforme informações preliminares, é possível que o auxílio emergencial seja retomado neste mês de março. Os beneficiários, caso isso aconteça, poderão consultar os saldos dos pagamentos pelo número de seus CPFs.

Com informações do site: concursos no brasil