quinta-feira, 4 de fevereiro de 2021

Seguro-desemprego paga parcelas de até R$ 1.900 em 2021; Entenda


 
Foto: Reprodução

O seguro-desemprego foi mais um dos benefícios que tiveram reajuste em 2021, acompanhando a correção já anunciada do salário mínimo e das aposentadorias. Com isso, o valor máximo das parcelas pagas pelo benefício passou a ser de R$ 1.911,84.

O novo teto representa um acréscimo de R$ 98,81 em relação ao ano passado, quando a parcela máxima era de R$ 1.813,03. Para ter direito a ele, o trabalhador precisa contabilizar salário médio de R$ 2.811,60 ou mais.

O seguro-desemprego for reajustado com base no do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2020, que ficou em 5,45%. Ele serve de base para a correção anual do salário mínimo e demais benefícios pagos pelo governo.

A partir deste ano, nenhum trabalhador poderá receber mais de R$ 1.911,84, enquanto a menor parcela segue sendo de um salário mínimo, atualmente em R$ 1.100,00. O cálculo do seguro-desemprego considera, em geral, a média dos últimos três últimos salários do trabalhador.

Vale destacar que o reajuste também inclui os segurados que estão recebendo o benefício desde o ano passado, tanto os que recebem a parcela mínima quanto os que ganham o teto.

Como calcular o seguro-desemprego

Para saber qual será o valor da parcela de cada segurado, é necessário calcular o salário médio do trabalhador. Em seguida, basta consultar a tabela abaixo:




Quem pode solicitar o benefício

Todos os trabalhadores na modalidade CLT podem solicitar o benefício, desde que seu primeiro pedido seja feito em pelo menos 12 meses após a assinatura da carteira. O seguro-desemprego só é pago em caso de demissão sem justa causa.

O número de parcelas varia de acordo com o tempo de carteira assinada, na proporção abaixo:

3 parcelas: pelo menos 6 meses de trabalho;
4 parcelas: pelo menos 12 meses de trabalho; e
5 parcelas: pelo menos 24 meses de trabalho.

Para trabalhadores resgatados em condição semelhante à escravidão, pescadores profissionais ou que tiveram o contrato suspenso por conta de participação em programa de qualificação profissional oferecido pelo empregador, o número de parcelas pode variar.

Como solicitar o seguro-desemprego

Não existe um número máximo de solicitações, mas o prazo de carência entre cada solicitação deve ser de, no mínimo, 16 meses. A primeira solicitação só é permitia após 12 meses de carteira assinada.

Para o segundo pedido, é preciso ter mais de 9 meses de carteira assinada. Já do terceiro pedido em diante, é preciso ter ao menos 6 meses de carteira assinada.

O seguro-desemprego pode ser solicitado por meio de um dos seguintes canais:

Site www.gov.br/; ou


Com informações do site: editalconcursosbrasil - LORENA DE SOUSA