sábado, 6 de fevereiro de 2021

Dicas para proteger sua conta do FGTS contra golpes e saques indevidos


 
Foto: Reprodução
Vazamento de dados preocupa milhares de brasileiros que tiveram o CPF expostos. Na última semana, descobriu-se que o sistema do Serasa registrou uma falha liberando informações confidenciais de mais de 223 milhões de pessoas. Entre as maiores preocupações da população, está a possibilidade de saques indevidos no FGTS.
 
Manter documentos como o número do CPF em privado é uma medida de segurança essencial. No entanto, tal realidade não está disponível para parte significativa da população.

Com o vazamento de informações no Serasa e outras empresas privadas, seguros como o FGTS passaram a ficar ameaçados.

Como segurar meu FGTS
Para quem está preocupado em ter liberações não autorizadas pelo FGTS, é preciso ficar atento. Uma das principais recomendações é instalar o aplicativo do programa para que diariamente você possa acompanhar o extrato do seu fundo de garantia.

Dessa forma, a qualquer mínimo indicio de transição irregular, é preciso acionar a Caixa Econômica Federal urgentemente informado que teve o documento fraudado.

Outra recomendação também importante é manter o CPF atualizado na Receita Federal. Esse procedimento é simples e pode ser feito diretamente no site da RF.

Basta informar seus dados de identificação pessoal como nome completo, e data de nascimento para validar seu registro.

Liberações pelo saque emergencial são uma ameaça
Diante das autorizações do governo federal para uma nova rodada de saques pelo FGTS nos próximos meses, é preciso ainda consultar se o cadastro não será feito indevidamente.

De modo geral, não há como travar a utilização do CPF no registro do benefício. No entanto, o titular deve monitorar para acionar a Caixa caso seja fraudado.

Sendo comprovado que o benefício foi retirado indevidamente, basta ir até uma agência do banco, apresentar o extrato da transação e informar que a mesma não foi realizada por você.

Os servidores deverão conferir o sistema de transições e na sequência devem dar início a devolução ou suspensão do saque.

A Caixa solicita que as vítimas do vazamento se mantenham de olho no app do FGTS, e estejam conectadas com seus portais de atendimento para que o andamento do processo seja feito o mais rápido possível.

Com informações do site: FDR, Eduarda Andrade