quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

Auxílio Emergencial: governo anuncia liberação de novos pagamentos do programa; quem recebe?


 
Foto: Reprodução
Enquanto os debates acerca de uma prorrogação se intensificam, o governo federal fará a liberação de novos pagamentos do benefício. Em texto publicado no Diário Oficial da União (DOU), o Ministério da Cidadania autorizou mais 22.333 pessoas a receber cotas do programa. Este grupo integra os beneficiários que solicitaram reavaliações e que contestaram a suspensão.

Estes brasileiros receberão as cifras pendentes a que têm direito de uma só vez. De acordo com o Ministério da Cidadania, os recursos ficarão disponíveis nesta quarta-feira (10) tanto para a realização de saques ou transferências, como a utilização do montante para pagamentos e compras utilizando o aplicativo Caixa Tem.

Os beneficiários podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo Caixa Tem ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Quem recebe?
12 mil brasileiros irão receber as parcelas de 1 a 5: beneficiários que tiveram reavaliação no cadastro

9,4 mil brasileiros irão receber as parcelas de 6 a 9: beneficiários que não chegaram a receber a extensão do programa, e tiveram reavaliação no cadastro.

371 brasileiros irão receber as parcelas de 7 a 9: beneficiários que tiveram os pagamentos de extensão cancelado, e posteriormente reavaliado. 

561 brasileiros irão receber parcelas de 6 a 9: beneficiários que efetuaram o pedido de contestação. 

Vai prorrogar?
Antes distante, a prorrogação do Auxílio Emergencial aparenta estar cada vez mais próxima. De acordo com o jornal “O Globo”, em publicação feita nesta quarta (10), o governo federal estuda anunciar uma nova rodada de pagamentos do programa após o Carnaval, com o benefício retornando em março.

Segundo o periódico, o plano do governo é pagar mais três cotas de R$ 200, mas o número de beneficiários será reduzido em 50% comparado que o índice de contemplados no ano passado, que foi de 68 milhões de brasileiros, impactando em um alto gasto nos cofres públicos. 

Com informações do site: i7news