quinta-feira, 7 de janeiro de 2021

Seguro desemprego muda VALOR das parcelas após atualização do salário mínimo


 
Foto: Reprodução
Trabalhadores contarão com reajuste no valor do seguro desemprego. Com a atualização do novo salário mínimo, uma série de benefícios trabalhistas tendem a ser alterados. Entre eles está o seguro desemprego que agora terá como quantia base R$ 1.100. No texto abaixo, saiba como calcular as novas parcelas e fazer a solicitação virtual.

O seguro desemprego funciona como uma espécie de salário temporário para os brasileiros demitidos sem justa causa. Por se tratar de um benefício relacionado a carteira de trabalho, seu valor é baseado no piso nacional.

Agora em janeiro, a quantia foi reajustada de R$ 1.045 para R$ 1.100 o que significa novos cálculos para os desempregados.

Como calcular o novo seguro desemprego
Para saber a quantia exata a ser paga pelo seguro desemprego é preciso levar em consideração uma série de fatores. Além de observar a renda fixa do trabalhador e o salário concedido pelo seu patrão, o governo avalia ainda o tempo de serviço prestado e quantidade de vezes que a solicitação do benefício foi feita.

De modo geral, a quantia mínima para cada cidadão é de três parcelas de R$ 1.100, porém o número da parcela e também seu valor total é modificado a partir do cálculo da média salarial do funcionário.

Para tirar essa média é preciso somar os três últimos salário e dividir o resultado por três. Com o resultado aplicar sobre a tabela:

Faixas de Salário Médio                     Valor da Parcela
Até R$ 1.599,61                             Multiplica-se salário médio por 0.8 (80%)
De R$ 1.599,62 até R$ 2.666,29        O que exceder a R$ 1.599,61 multiplicar por 0,5 (50%) e somar a R$ 1.279,69
Acima de R$ 2.666,29                     O valor da parcela será de R$ 1.813,03

Número de parcelas do seguro desemprego
Solicitação Exigências          Número de parcelas
Primeira         No mínimo, 12 meses de trabalho e, no máximo, 23 meses. 04
No mínimo, 24 meses de trabalho. 05
Segunda No mínimo, 09 meses de trabalho e, no máximo, 11 meses. 03
No mínimo, 12 meses de trabalho e, no máximo, 23 meses. 04
No mínimo, 24 meses de trabalho. 05
Terceira No mínimo, 06 meses de trabalho e, no máximo, 11 meses. 03
No mínimo, 12 meses de trabalho e, no máximo, 23 meses. 04
No mínimo, 24 meses de trabalho. 05

Formas e prazos de pagamento
Quando solicitado, o benefício passa a ser pago em até 30 dias depois da aceitação. O valor é enviado para a conta bancária informada pelo segurado, sendo obrigada a ter a sua titularidade.

Normalmente os bancos responsáveis pela administração do benefício são aqueles ligados ao governo federal, como a Caixa Econômica Federal ou o Banco do Brasil. A vinculação depende do local de trabalho do cidadão e por onde seu salário vinha sendo quitado.

Como solicitar o seguro desemprego em 2021
Com a pandemia do novo coronavírus, uma das decisões do governo foi digitalizar seus serviços. Agora é possível que o trabalhador solicite o seguro sem precisar sair de casa, usando o aplicativo da Carteira de Trabalho Digital.

Primeiramente basta instalar a ferramenta no aparelho celular. Ela é gratuita e pode ser configurada em qualquer telefone com o sistema IOS ou Android.

Feito isso, é só acessar a área pessoal por meio do número do CPF ou criar a conta (para quem não tiver) informando dados como nome completo, data de nascimento, etc.

Depois de conectado, é só selecionar a função seguro desemprego. Na sequência o usuário deve comprovar a demissão sem justa causa repassando os documentos e cópia de seu contrato. Enviados os registros é só aguardar o prazo de aproximadamente 30 dias para saber se o pedido foi aprovado.

Quem tem direito ao seguro desemprego?
O benefício é destinado prioritariamente para quem trabalhava em regime de carteira assinada e foi demitido sem justa causa. No entanto, é liberado ainda para os pescadores em período defeso e para os brasileiros encontrados em regime similar ao trabalho escravo.

Transição entre 2020 e 2021
Por fim, no caso dos trabalhadores que receberam a primeira parcela do seguro desemprego em dezembro e tem novas rodadas para 2021, o atual pagamento deverá ser já reajustado considerando o novo piso nacional.

Com informações do site: FDR, Eduarda Andrade