domingo, 3 de janeiro de 2021

Justiça libera atrasados do INSS com valores acima de R$ 60 mil; Saiba quem tem direito


 

Os beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que reivindicaram os atrasados e ganharam a ação, terão direito aos seus recursos financeiros. Isso porque o Conselho da Justiça Federal (CJF) liberou o dinheiro para pagamento de Requisições de Pequeno Valor (RPV), autuadas em outubro.

O acumulado de R$ 1,3 bilhão será distribuído aos segurados para o pagamento dos atrasados. As quantias a serem pagas são de até 60 salários mínimos, respeitando o limite de R$ 62,7 mil, de acordo com o piso de 2020 (R$ 1.045).

No acréscimo com RPVs, quase 150 mil beneficiários nos mais de 120 mil processos receberão o dinheiro. Do total, mais de 77 mil segurados do INSS vão ter direito ao saldo, destinando R$ 1 bilhão para pagamento de atrasados do INSS.

Quem possui direito aos atrasados?
Todo segurado com inscrição no INSS pode pedir a revisão do benefício concedido pelo órgão. Porém, apenas aqueles que tenham vencido o processo junto da Justiça poderão ser agraciados com o pagamento.

O cálculo do dinheiro é feito de acordo com o tempo de contribuição e a espera para liberação. A fórmula considera os cinco anos antes do pedido e o tempo de espera até a correção.

Os beneficiários que desejam fazer o requerimento devem ir até o INSS primeiro, para apenas depois ir atrás da Justiça. É válido salientar que ações cujo valor seja de no máximo 60 salários mínimos dispensam a contratação de advogado.

Para aqueles beneficiários que têm direito ao reajuste, é só entrar no portal do Tribunal Regional Federal (TRF) e verificar a data para saque.

Como consultar os atrasados do INSS?
Os beneficiários do INSS podem verificar se têm direito aos atrasados do INSS pela Justiça Federal, no Tribunal Regional Federal (TRF) de sua região. Para saber o dia em que o dinheiro estará disponível para retirada é preciso consultar a RPV.

Além do TRF, existe a opção de conferir no Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal.

Com informações do site: Edital Concursos Brasil, Lidianne Porto