quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

Governo pode estender Bolsa Família para mais 120 mil no Estado


 
Foto: Reprodução
Com o fim do auxílio emergencial, que beneficiou mais de 60 milhões de pessoas, o governo estuda continuar pagando um benefício a pelo menos 120 mil famílias no Estado que continuarão vulneráveis aos efeitos da pandemia. 

O número é estimado pelos cálculos da equipe econômica diante da retomada da economia, e a previsão de que parte dos beneficiários do auxílio emergencial retornem ao mercado de trabalho.
 
Mesmo com a retomada, a equipe do governo considera que 6 milhões de famílias ainda vão continuar em situação de vulnerabilidade neste ano. Essas famílias seriam incluídas em uma ampliação do programa Bolsa Família, voltado principalmente às famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza. 

Atualmente, o benefício médio, concedido a 14,2 milhões de famílias, é de R$ 192. No Espírito Santo, 196 mil famílias recebem o Bolsa Família, e mais de 15 mil estão na fila pelo benefício. O Ministério da Cidadania tem à disposição um orçamento de R$ 34,8 bilhões em 2021 para pagar o Bolsa Família.
 
A inclusão de outras 6 milhões de famílias deve custar aproximadamente R$ 25 bilhões, o que elevaria o gasto com o programa para cerca de R$ 60 bilhões por ano.

Essa estimativa foi feita quando o governo apresentou a líderes partidários, no ano passado, a proposta de criação do Renda Cidadã, programa que estava previsto para substituir o Bolsa Família, mas foi descartado pelo presidente Jair Bolsonaro. 

Desde abril de 2020, os beneficiários do Bolsa Família migraram para o auxílio emergencial, que é mais vantajoso.
O auxílio começou com parcelas mensais de R$ 600, que foram reduzidas para R$ 300 na prorrogação até o fim do ano passado. 

Podem fazer parte do Bolsa Família todas as famílias com renda por pessoa de até R$ 89 mensais, e famílias com renda por pessoa entre R$ 89,01 e R$ 178 mensais, desde que tenham crianças ou adolescentes com até 17 anos.
Questionado quanto à data de definição das propostas de ampliação do programa, assim como os passos para sua formalização, o Ministério da Economia não retornou os contatos da reportagem até o fechamento da edição.
 

Ampliação 

Atualmente, 196 mil famílias recebem o Bolsa Família no Espírito Santo, e outras 15 mil estão na fila para o benefício. O governo federal estuda estender o benefício para 120 mil famílias no Estado. 

Programa

O bolsa família é destinado a famílias com renda por pessoa de até R$ 89 mensais, e famílias com renda por pessoa entre R$ 89,01 e R$ 178 mensais, desde que tenham crianças ou adolescentes com até 17 anos.
Para solicitar o benefício é preciso estar cadastrado no CadÚnico do governo federal. 
As informações estão disponíveis no site www.caixa.gov.br/cadastros/cadastro-unico. 

Com informações do site: Ministério da Economia