quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Dois benefícios e novo saque emergencial podem ser liberados pelo governo; entenda


 
Foto: Reprodução
De acordo com as informações divulgadas na coluna de Mônica Bergamo, no Folha de São Paulo, dois benefícios podem ser antecipadas aos trabalhadores este ano que são: o 13º salário dos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). bem como a liberação do abono salarial antecipadamente

Ainda segundo o jornal, além dos benefícios uma nova medida também pode acontecer assim como em 2020, sendo ela a liberação do saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aos trabalhadores.

Benefício antecipados
A previsão e de que os pagamentos tenham início entre fevereiro e março. A medida faz parte do plano do governo federal de compensar, parcialmente, o fim do auxílio emergencial, ocorrido em dezembro.

Terão direito a receber o 13° salário do INSS quem recebe:

Aposentadoria
Auxílio-doença
Auxílio-acidente
Salário maternidade
Pensão por morte
Auxílio reclusão.
Novas alterações
Para o ministro da Economia, Paulo Guedes, a medida viável porque não teria custo fiscal.

Outra antecipação que poderá ocorrer para os que são beneficiados com o abono salarial. Essas são as propostas para um forma de retomada econômica, enquanto se espera a imunização da população.

Liberação do saque emergencial do FGTS
Também pode acontecer em 2021, uma nova rodada do saque emergencial do FGTS, assim como no ano passado. É muito provável que neste ano os cidadãos poderão ter acesso a mais uma parte do saldo disponível no fundo do trabalhador.

Equipe econômica do governo, informou essa semana que há uma margem para que os recursos do FGTS possam ser liberados para retirada sem que possa comprometer a sustentabilidade do Fundo de Garantia.

Ainda segundo equipe do governo, em declaração no final do ano passado, a analise para verificar a liberação do saque emergencial ocorreria nos primeiros dias de janeiro, mas, pode ter o anúncio da liberação ainda este mês.

Com informações do site: N1n, Débora Souza