segunda-feira, 16 de novembro de 2020

Ministro Paulo Guedes faz pronunciamento sobre Bolsa Família 2021 e beneficiários se animam com a proposta


 
O ministro da Economia, Paulo Guedes, mudou o discurso, e afirma que não há possibilidade de prorrogação do auxílio emergencial e não acredita em uma nova onda de coronavírus.
 
Por isso, o Bolsa Família será a prioridade do governo no próximo ano.

A mudança no discurso de Paulo Guedes veio diante do incomodo do governo e do mercado financeiro, após a declaração do ministro na semana passada, afirmando que a ajuda emergencial seria "certamente" estendida se uma segunda onda de Covid-19 chegasse ao país.

O aborrecimento foi porque a declaração vai contra o objetivo de conter o avanço da dívida pública. Além disso, se opôs ao que o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), alegou, ou seja, que a contaminação pelo Covid-19 no Brasil está caindo e que este é o momento de recuperação da economia.

Assim, de acordo com a declaração mais recente de Guedes na última sexta-feira (13), durante o Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex), o governo encerrará o auxílio emergencial em 31 de dezembro e voltará ao Bolsa Família em 2021.

"Hoje, o plano A é: chegamos ao final do ano, fazemos o desbotamento da ajuda emergencial. Ele foi para R$ 600, foi para R$ 300, e agora aterrissa, novamente, no Bolsa Família. Fizemos nosso programa de ajuda emergencial e este programa termina em 31 de dezembro, período. E estamos de volta ao Bolsa Família. Esse é o nosso plano A, todo o resto é uma hipótese de menor probabilidade.", disse Guedes.

Guedes deixou claro que o auxílio é um auxílio transitório, apenas para lidar com a pandemia, por isso, tem uma data definida para o seu fim.

Além disso, ele falou sobre o aumento de casos de contaminação e mortes em alguns locais do país, mas disse que o governo não acredita na possibilidade de uma segunda onda de contaminações, bem diferente do que havia declarado na última quinta-feira (12).

"Do lado da pandemia, o Brasil está conseguindo combater a doença e a vacina está chegando. É um fato que está acontecendo no lado da saúde. E do outro lado da economia, é fato que o Brasil está saindo da recessão", disse.

Com informações do site: redebrasilnews