quinta-feira, 12 de novembro de 2020

Crédito Consignado: Veja como a portabilidade pode diminuir taxa de pagamentos




Os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) têm a oportunidade de fazer a portabilidade de seus empréstimos consignados com taxas de juros mais baixas.

Em certos casos, essa decisão pode ser vantajosa, mas para te ajudar a entender como funciona preparamos esse artigo com as principais informações sobre a troca de débitos antigos por novos. 

De acordo com a Associação Nacional das Empresas Promotoras de Crédito e Correspondentes (Aneps), os interessados devem levar o atual contrato de empréstimo para outra instituição financeira, sem a necessidade de renegociação da dívida com o banco atual.

“Isso aumenta a competição entre bancos e beneficia o consumidor, que poderá ter uma prestação menor,” afirmou Edison Costa, presidente da Aneps. 

Porém, é preciso estar atento à alguns detalhes para não sair no prejuízo, dentre eles estão:

Taxa de Juros: a primeira orientação é verificar se a taxa de juros da segunda instituição é menor;
Parcelas: também é preciso saber quantas parcelas já foram pagas no contrato atual para ter certeza que será uma troca vantajosa, pois, no novo cálculo onde incidirão mais taxas de juros e se já tiverem sido pagas mais da metade das parcelas, o cliente voltará novamente à pagar juros maiores em outra instituição bancária;
Quantidade de parcelas: o segurado precisa verificar ainda se o banco está mantendo o número de parcelas do contrato original, ou seja, se o contrato atual faltam 30 parcelas para serem pagas, o novo contrato precisa manter as 30 prestações com novas taxas.
Como solicitar?
O cliente deve procurar o segundo banco o qual quer negociar sua dívida para uma avaliação.

Com as informações em mãos, aproveite para esclarecer como ficará o Custo Efetivo Total (CET) que é onde estão incluídos todos os encargos e tarifas cobradas para a renegociação.

Por isso, compare esses custos com aqueles cobrados pelo seu banco atual.

Em certos casos, uma boa alternativa é refinanciar a dívida com seu banco atual, o que pode evitar gastos ainda maiores.

Também verifique como ficará o novo valor das parcelas para saber se não irá pesar no bolso e ter que pagar à mais do que deveria, pois, a intenção é diminuir esses valores mensais.  

Taxa de Juros
Os bancos ficam responsáveis por definir as taxas de juros do crédito consignado do INSS.

No entanto, é importante ressaltar que o valor máximo por mês deve ser de até 1,8%, relativo ao empréstimo cujo desconto é feito no benefício e 2,7% para o cartão de crédito consignado.  

Regras do INSS
É importante lembrar que até o dia 31 de dezembro, o segurado do INSS pode comprometer até 40% do seu benefício com o pagamento de parcelas relativas a créditos consignados, ficando da seguinte forma: 35% do benefício para o empréstimo pessoal consignado e 5% para o cartão de crédito consignado.

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática: 

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.



Com informações do site jornalcontabil, Samara Arruda