quinta-feira, 2 de julho de 2020

Cadastro Único e Bolsa família: inscritos vão receber mais R$ 1.200 de auxílio emergencial, confira aqui! |EmpregabilidadeBrasil..com



Cadastro Único e Bolsa família: inscritos vão receber mais R$ 1.200 de auxílio emergencial, confira aqui! |EmpregabilidadeBrasil..com


Finalmente temos uma definição sobre a prorrogação do Auxílio Emergencial de R$ 600 (R$1.200 para mães chefe de família). Esse era um dos pontos mais discutidos dos últimos dias, sendo que até então, existia um impasse entre o governo e os deputados sobre o valor e quantidade de parcelas extras.

Portanto, durante uma cerimônia realizada na tarde desta terça-feira (30/06), ficou estabelecido o alongamento do programa que beneficia mais de 64 milhões de cidadãos brasileiros. O presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto que prorroga o pagamento do Auxílio Emergencial por mais dois meses.


Estavam presentes no evento, os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Senado Federal, Davi Alcolumbre. Vários ministros também participaram da cerimônia, além do vice-presidente, Hamilton Mourão.

Valor e quantidade de parcelas
Até a semana passada, o governo federal estudava prorrogar o auxílio por mais três meses, mas reduzindo o valor de cada parcela de forma decrescente, para R$ 500, R$ 400 e R$ 300, respectivamente.

Porém, conforme indicou o Ministro da Economia, Paulo Guedes, a proposta é que sejam pagas mais quatro parcelas em dois meses, que somarão R$ 600 por mês, totalizando R$ 1.200.


Ainda segundo o ministro, Bolsonaro vem pensando em uma “aterrizagem inteligente”, com pagamentos de R$ 500 no início do primeiro mês, R$ 100 no final do primeiro mês, R$ 300 no início do segundo mês e mais R$ 300 no final do segundo mês, para então entrar no novo programa Renda Brasil.

Esse formato seria compatível com o projeto inicial de três parcelas com valores de 500, 400 e 300.

Sendo assim, o pagamento poderá ser feito da seguinte maneira:

1. R$ 500 no início do primeiro mês;

2. R$ 100 no fim do primeiro mês (R$ 500 + R$ 100 = R$ 600);

3. R$ 300 no início do segundo mês;

4. R$ 300 no fim do do segundo mês (R$ 300 + R$ 300 = R$ 600).

Presidente da Câmara defendia outro formato
Nos últimos dias, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), vinha defendendo a extensão mais abrangente do programa, com a prorrogação por três meses do valor integral do benefício no valor de R$ 600, mas isso não aconteceu.


Vale lembrar que quando o benefício ainda estava em fase de estudo, o auxílio emergencial foi pensado para durar três meses, de abril a junho. Antes de encaminhar a proposta ao Congresso, a equipe econômica do governo queria que o valor fosse de R$ 200 a cada mês. Após pressão dos parlamentares, foi definido o valor de R$ 600.

A Lei 13.982/2020, que instituiu o Auxílio Emergencial, foi aprovada pelo Congresso Nacional em abril e previa a possibilidade de que um decreto presidencial prorrogasse os pagamentos, desde que mantidos os valores estabelecidos.


Calendário das novas parcelas sairá em breve
Após a cerimônia, Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, afirmou que o cronograma oficial de pagamentos das novas parcelas deve ser divulgado em breve.

Ainda de acordo com Pedro, o calendário está pronto, mas depende da liberação do ministro Paulo Guedes.

Fonte: N1N